Entendendo o vinho italiano

A classificação dos vinhos italianos segue o estilo das classificações europeias, por origem. Tem como base regiões geográficas que coincidem com as divisões políticas o que facilita muito o entendimento geral. São vinte as regiões e cada região tem suas IGTs, DOCs e DOCGs.

As classificações são leis que contém um conjunto de critérios que devem ser seguido para que um vinho receba a respectiva classificação. São essas classificações em ordem crescente de qualidade.

VINO DA TAVOLA. Vinho de mesa. Não há critérios legais específicos. A maioria dos vinhos italianos se enquadra nesta classificação.

INDICAZIONE GEOGRAFICA TIPICA. Indicação Geográfica Típica (IGT). Cada uma das vinte regiões geográficas tem várias IGTs somando umas 130. Os critérios são mais de ordem geográfica, regiões e sub-regiões de origem. Aqui estão os Super Toscanos.

DENOMINAZIONE DI ORIGINE CONTROLLATA. Denominação de origem controlada (DOC). São cerca de 300 DOC distribuídas entre as 20 regiões. A legislação, tal como as demais classificações, é específica por DOC e a mesma é a mais rígida que a anterior, estabelecendo mais além da origem, as uvas que devem ser utilizadas, formas de vinificação ou estágio em barrica.

DENOMINAZIONE DI ORIGINE CONTROLLATA E GARANTITA. Denominação de origem controlada e garantida – DOCG: Nem todas as regiões tem DOCGs que são umas 30. São critérios similares aos da DOC aos quais se soma uma análise organoléptica para determinação de qualidade.

É a legislação específica de cada IGT, DOC ou DOCG que vai determinar se os vinhos acolhidos a essas classificações devem ser:

Quanto à guarda:

Vecchio: mínimo de três anos de estágio em bodega.

Superiore: mínimo de um ano de estágio em bodega.

Riserva: mínimos de três a cinco anos de estágio em bodega.

Quanto à presença de gás carbônico:

Tranquillo: vinhos sem gás carbônico.

Spumante: espumante, que pode ser natural, charmat ou clássico (champanhoise).

Frizzante: vinhos com presença de gás carbônico, mas em quantidades três ou quatro vezes inferior ao espumante.

Quanto à concentração de açúcar:

Secco, Abbocado, Amabile e Dolce Concentração de açúcar.

Quanto à vinificação:

Novello: vinho de colheita, vinhos de maceração carbônica.

Liquoroso: Vinhos fortificados.

Passito: Vinhos elaborados com uvas passas.

Ripasso: Vinho guardado sobre lias (sur lie)

Quanto a tipo/uva/cor:

Bianco: Branco

Rosato: Rosado

Rosso: Tinto

O Marsala pode ser confundido como tipo de vinho e de certa forma o é, mas Marsala é a DOC que produz esse vinho, que para efeito de entendimento pode comparar-se ao Xerez espanhol.

Ainda que fosse desejável, as IGTs, DOCs e DOCGs são tão numerosas que não é possível lista-las aqui num mapa único. Enumero então no mapa o total de cada classificação por região listando somente Toscana, a modo de exemplo.

vinho italiano

 

Quer conhecer a Sociedade da Mesa, clube de vinhos? Acesse nosso site e aproveite a oferta especial para leitores do blog!

Conheça nossos vinhos italianos, acesse aqui. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *