Vinho “fácil de beber”

Expressão muito utilizada no mundo do vinho e da qual, como muitas outras, não sei muito bem o que quer dizer.
Eu, particularmente, não tenho maiores dificuldades de beber vinho nenhum. Bebo todos com relativa facilidade. Por outro lado, entendo que certas expressões servem para abrandar algumas verdades nem sempre cômodas. De uma pessoa cuja presença não nos faz nenhuma diferença, dizemos que é “boa pessoa”; de uma obra pictórica que não nos emociona em absoluto, dizemos que “não ofende ninguém”; e de um vinho com pouco caráter, dizemos que é “fácil de beber”.

Entrando por essa vereda, eu diria que o carmenère é um vinho difícil de beber, que não agrada qualquer um, nem a mim. Tem sabores duros, final vegetal (*) . Demorei a achar carmenères que me agradassem. Mas consegui encontrar alguns até hoje, que não tive nenhuma dificuldade em beber.

(*) Diz-se que o vinho é vegetal quando apresenta esta característica, mas ela tende a desaparecer com o tempo. Não se constitui, então, em caráter negativo. Distingue-se do herbáceo, que é um vinho mais intenso, cuja característica de erva não desaparece com a maturação nem com o envelhecimento do vinho, sendo considerado um caráter negativo. Muitos carmenères tendem para um final vegetal, não sendo, de todo, desagradáveis.

 

Quer conhecer a Sociedade da Mesa, clube de vinhos? Acesse nosso site e aproveite a oferta especial para leitores do blog!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *